quinta-feira, 10 de dezembro de 2015

Dar voz às Palavras - Workshop do Projeto Ler+ Jovem - "À Sombra das Palavras"

No workshop de dezembro cruzamos a noção de muro com a temática do Natal.

Muro - cintura protetora que encerra um mundo e evita que nele penetrem as influências nefastas de origem inferior. Tem o inconveniente de limitar o domínio que ele encerra, mas a vantagem de garantir a sua defesa. (…) separação entre irmãos exilados e aqueles que permanecem; separação-fronteira - propriedade entre nações, tribos, indivíduos; separação entre famílias; (…) separação entre os outros e eu. O muro é a comunicação cortada, com a sua dupla intenção psicológica: segurança, sufoco; defesa, mas prisão.

Chevalier, Jean e Gheerbrant, Alain (2009). Dicionário de Símbolos. Lisboa: Teorema.

Bansky, “grafitter”, pintor, ativista político e diretor de cinema britânico, é conhecido mundialmente por espalhar obras de arte irreverentes nas ruas, que modificaram conceções, incitaram à reflexão e alteraram a forma como os “graffitis” são vistos hoje em dia. O artista dá cor às ruas com “graffitis” de diferentes estilos, instalações, “stickers” e outros géneros de projetos artísticos, que têm o propósito de elaborar duras e sarcásticas críticas à política, à sociedade em geral e à guerra do mundo contemporâneo. Alguns dos seus trabalhos de contestação mais famosos foram feitos em Israel, quando pintou o muro que separa Israel da Cisjordânia, contrapondo a bonança israelita à miséria palestiniana. Para o artista, “todo o ‘graffiter’ precisa fazer uma peregrinação ao maior muro do mundo em algum momento de sua vida”.


A nossa reflexão de Natal partiu desta noção de muro, das barreiras que temos de transpor, dos saltos que teremos de dar para uma realidade que vá para além dos enfeites, das doçarias, do (en)canto supérfluo. Os textos elaborados pelos alunos serão conhecidos brevemente.












Sem comentários:

Enviar um comentário